A Portas Abertas entrou em contato com um líder cristão, Arif, no Egito e fez perguntas sobre os ataques às igrejas no domingo (9) e sobre como podemos ajudar. O nome dele foi alterado por motivos de segurança. Leia a seguir:

Portas Abertas (PA): Como você ficou sabendo dos ataques?
Arif (A): Como muitos outros cristãos do Egito, eu estava a caminho da igreja com minha esposa e filho. O clima estava bom e eu estava animado. Então, recebi uma mensagem que mudou meu estado instantaneamente. Eu li sobre o primeiro ataque, em Tanta. Eu estava com raiva e chocado. Essas pessoas tinham ido à igreja celebrar sua fé em paz e isso aconteceu. Minha dor aumentava a cada vítima. Durante o culto, eu desliguei meu celular. Quando acabou, liguei novamente e vi sobre o outro ataque, desta vez em Alexandria.

PA: Nós podemos fazer alguma coisa para preparar os cristãos para o que tem acontecido?
A: Sim, mesmo que o Egito tenha enfrentado bastante perseguição nos últimos anos, ainda vemos que há pouca atenção para a perseguição nas igrejas egípcias. Em nossos discipulados e conversas com líderes de igrejas, tentamos conscientizar para o fato de que a perseguição faz parte da vida cristã. Queremos ajudar as pessoas a viverem perto de Deus e entender que elas são preciosas para ele.

PA: Como os cristãos, em geral, respondem aos ataques?
A: Difere muito de pessoa para pessoa. Alguns cristãos estão com muita raiva. Outros estão na outra extremidade e enxergam essa situação como algo celestial e apenas passam tempo orando. Para mim é importante ter um equilíbrio entre os dois.  

PA: Com esses ataques, como os cristãos se preparam para o Domingo de Páscoa?
A: Alguns estão com medo de ir a igreja nesse domingo, mas eu diria que é a minoria. Pois a maioria dos cristãos egípcios vão a suas igrejas celebrar a vitória de Cristo sobre a morte e medo. Eles sabem o quão importante é estar perto de Deus em meio a essa agitação.

PA: E quanto as igrejas, alguma programação diferente?
A: Ouvi dizer que algumas igrejas manterão seu serviçoes em respeito às vítimas. No Egito é comum receber convidados no Domingo de Páscoa. Algumas igrejas cancelaram esses encontros pois os consideram inapropriados para o momento, essas ficarão apenas em oração.

PA: Como podemos orar pelo Egito?
A: Estamos esperando que a perseguição piore. Espero que eu esteja errado, mas não ficaria surpreso se houver mais ataques desse tipo nas próximas semanas. Ore mesmo por proteção a igreja no Egito. Realmente precisamos de oração. Mas também quero pedir aos cristãos ao redor do mundo que orem pelos perseguidores e por aqueles que planejam mais ataques contra os cristãos. Ore para que milhares de “Saulos” se transformem em “Paulos” aqui no Egito.