10 ug etiopia mae e filha

 

Na Etiópia, as mulheres têm enfrentado perseguição pela decisão de seguir a Cristo. Perdas, isolamento, ameaças e ataques são algumas das lutas diárias dessas irmãs. Recentemente, uma equipe da Portas Abertas visitou um grupo de cristãs da Etiópia que estava precisando de apoio. A visita durou duas semanas e durante as manhãs, elas estudavam a Bíblia juntas. À tarde, aprendiam artesanato como a confecção de colchas e o Kintsugi, uma técnica onde pedaços de cerâmica quebrada são colados novamente para fazer bonitas peças de arte.

Aos poucos, a dor delas foi transformada e a fé fortalecida. Foi o caso de Fatuma (pseudônimo) e seu marido, que enfrentam perseguição da família. Os pais dela, que não são cristãos, ameaçam os dois desde o início do relacionamento deles. O marido de Fatuma já foi envenenado e ainda convive com as consequências do envenenamento. Mas isso não os impediu de seguir a Cristo. A cristã e o marido vivem em uma região de maioria muçulmana. A vizinhança é bastante hostil e ela não pode deixar os filhos brincarem fora de casa. No trabalho, ela enfrenta discriminação e seu marido continua recebendo ameaças.

Força e alegria
Depois das atividades com o Kintsugi, Fatuma exclamou: “Jesus é capaz de reconstruir tudo! Assim como eu colei as partes desse prato, percebi que Deus pegou os pedaços do meu coração partido e me curou! Eu sei que não estou sozinha. Sou amada por Deus e por irmãos de diferentes partes do mundo. Isso foi realmente encorajador e inesquecível!”

A equipe da Portas Abertas percebeu que a imagem de reconstruir os pedaços da cerâmica quebrada para construir uma nova obra de arte foi mais forte do que imaginava. “Quando você chega aos pedaços até Jesus e ele te restaura, você fica mais forte do que jamais esteve”, reconhece uma irmã etíope.

Ore conosco no DIP 2017: www.domingodaigrejaperseguida.org.br